terça-feira, 14 de abril de 2009

Fotos

Esses dias o Diego foi lá em casa. Por incrível que pareça, foi a primeira vez que ele esteve por lá. No meu quarto, ele observou as fotos que ficam grudadas na parede.

Aproveitei que ele estava olhando, e parei para observá-las também. É engraçado, como nós nos acostumamos com as coisas e deixamos de observá-las. Minhas fotos, apesar de muito boas, são velhas. Algumas mostram pessoas que nem fazem mais parte da minha vida diária.

Isto me fez pensar no porquê de ter tantas fotos antigas no mural. E achei a resposta. A culpa é da máquina digital. Depois que ela tornou-se objeto presente na vida de todos, nós perdemos o hábito de revelar nossos retratos. Toda foto tirada é jogada no computador e, no máximo, vai parar em algum album do orkut, ou similar.

Comentei isso hoje no trabalho e a Débora disse que sente a mesma coisa. Ela falou inclusive de uma coisa que eu não tinha pensado. Da graça que era pegar aquele pacote fechado, com fotos que ninguém sabia como tinham saído, abrir e se deparar com as surpresas. Viagem da escola, festa de aniversário, sua irmã vestida com as roupas da sua mãe. Tudo isso perdeu a graça depois da foto digital. Afinal, você tira, vê a foto na mesma hora e se não estiver boa, ainda tira outra.

Sem contar que a limitação no número de fotos também acabou. A dúvida do "compro um filme de 36 ou 24 poses?" não existe mais. Mas isso acho positivo. Dá a oportunidade de fazer mais fotos.

Mas tudo isso era só pra dizer que eu vou resgatar minha máquina analógica para voltar a ter essas sensações de surpresa com as fotos.

Será que ainda vendem filme fotográfico?

7 comentários:

Débora disse...

Muito bom, querido chefe!
E queimar o filme? Essa expressao já significou algo literal! Abrir a máquina e PERDER todas as fotos!As vezes elas ficavam com cores esquisitas, misturavam umas com as outras, mas ainda dava pra ver!É, deu saudade...

TATIANA SÁ disse...

Nossa me deu saudade também; e olha que nem sou fotógrafa.
A expectativa das fotos foi muito bem lembrada Debora, e a decepção de quando não saía aquela fotografia tão esperada??... ai...ai...
Abraço!

lucas disse...

kkkkkkkk!!! duvido vc trocar a maquina digital!!!!

Iêda disse...

eu tenho uma maquina analógica
vamos tirar fotos??

te amo!

beijos

•.¸¸.ஐA Borboleta apaixonada pela Rosa disse...

Vendem! E nem é difícil assim de encontram... E a surpresa das fotos e o prazer de aguçar os sentidos para buscar a fotografia continuam insubstituíveis!


Beijos e borboleteios

Nanda Assis disse...

vim por curiosidade que paula me despertou, adorei.

bjosss...

P disse...

Cara, eu sempre penso nisso, sabia? E, ao menos, tento não olhar o resultado das fotos na hora. Pra ter pelo menos a surpresa de poder baixar pro computador e descobrir os olhos vermelhos, a piscada na hora imprópria...