segunda-feira, 11 de julho de 2011

Ainda somos os mesmos?

Hoje passou a seguinte reportagem no Jornal Hoje: Férias escolares podem deixar adolescentes entediados

A reportagem foi feita com jovens aqui de Brasília e me fez pensar em como eu me comportava quando estava nessa idade. E olha, não me lembro de ficar entediado como disseram os meninos aí na reportagem. Na minha época a gente descia e fazia de tudo. Eu joguei muito futebol, bete e queimada, fiz trilha em parque, bati bafo, fiz fogueira e churrasco no mato, soltei pipa, paquerei as gatinhas da quadra, taquei ovo podre em ônibus, entre outras muitas coisas.

E aí eu me pergunto: essa molecada aí tá entediada por quê? Porque ficam em casa só de olho nos games, orkuts, facebooks e twitters. Porque seu modo de encontro é basicamente virtual. Porque para saber se o colega está em casa é mais fácil vê-lo online no MSN do que descer e ir assobiar em sua janela (que era o que fazíamos). Assim, trancado em casa, limitado ao que o computador e a tecnologia podem nos oferecer eu também morreria de tédio.

E qual a solução? Na matéria, a repórter vai procurar explicação até na ciência neurológica que dia que a molecada nessa idade tem mesmo maior tendência para o tédio. Pra mim a solução é só uma: rua! Bota essa meninada para interagir debaixo dos blocos, nas quadras de esporte (que, pelo menos no Plano Piloto, existem aos montes), nos parques, nos shoppings. Interação! Saiam às ruas e procurem o que fazer. Não falta programa por aí.

Do jeito que está hoje o texto do Paulo Rebêlo faz todo sentido para mim. São essas crianças aí da reportagem que ele não vê por aqui. Mas, afirmo por experiência própria, um dia elas existiram. Aliás, eu ainda existo! Eu contino o mesmo. Pena qua criançada mudou...

3 comentários:

Morillo Carvalho disse...

Paulinho, quando começou o seu texto, lembrei desse texto do Paulo Rebêlo. Essa criançada vai morrer de tédio (como diria o seu venerado cantor Renato Russo, tédio com um T bem grande pra você), é fato, não tem jeito. Vai mudar daqui a uns poucos anos, quando meu filho estiver com essa idade. É que essa nossa geração, de 20 e tantos, quase 30, que já temos filhos, todos nós, temos essa preocupação. O reflexo disso está por vir. Pelo menos, eu creio nisso...

... disse...

Olá boa tarde. Achei sua postagem bastante interessante. Bom sou suspeito pra falar, por seu acadêmico e tem um certo "vício" em redes sociais. Mas sua colocação na postagem não poderia passar em branco sem chamar minha atenção. Eu me colocando no lugar dos jovens vejo que o tédio vem das redes sociais, de ficar em casa na frente de um pc jogando no msn e etc. Se saíssemos mais acho que esse "tédio" acabaria totalmente. Até porrque vejo que nos acomodamos devido a facilidade de achar alguém online, então os programas fora de casa se tornam quase extintos. Parabéns. Tenho um blog também se quizer visitar ou seguir, agradeço. Já sigo o seu. Abraços.
www.raiquemd.blosgopt.com

Letras Saltitando disse...

Bah na minha época de colégio o que eu menos ficava é entediada! É que hoje as crianças são muito high tech!

O meu celular é um motorola milestone 2. Vou procurar esse alicativo então!!!!

Valeuzão!

bjos