segunda-feira, 26 de maio de 2008

Mais coisas que só acontecem comigo

Aí resolvi comemorar meu aniversário ontem em um boteco aqui em Brasília. Cheguei, sentei na mesa que tinham reservado para mim. Logo em seguida chegaram dois amigos (Atilla e Luiz Paulo), que sentaram-se e pedimos os primeiros chopes.

Eis que, do nada, me surge um senhor, com jornal debaixo do braço, e senta na minha mesa, na ponta oposta de onde estávamos. Eu vi, o garçom viu, meus amigos viram, achamos graça, mas eu disse pro graçom que deixasse ele ali, por enquanto.

Afinal, a mesa era grande e até aquele momento só estávamos nós três. E a única tv que transmitia o futebol estava voltada para minha mesa. O tio aliás, sentou-se ali para ver o futebol. O garçom trouxe uma comanda pra ele e também um chope. Mas aí, de repente, chegaram cinco amigas, o que já ocupou uma boa parte da mesa.

Uma inclusive, achou que o cara era meu pai, e sentou-se ao lado dele. Cumprimentou, deu boa tarde e tudo. Aí não deu. Tive que pedir ao garçom para conversar com ele e solicitar que ele sentasse em outro lugar. O tio levantou, meio sem-graça. E minhas amigas ficaram sem entender nada. Todas acharam que ele era mesmo meu pai.

Eu mereço? Nem no meu aniversário meu pára-raio de doido desliga.

3 comentários:

MAO // disse...

Vida longa, Paulinho!

SEM PROBLEMAS "B" disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isaba disse...

Pára-raio de doido e de doida, ahahahah. Paulinho, parabéns!! Me diverti muito naquele dia. Beijocas, Isaba