domingo, 23 de agosto de 2009

Não adianta prato bom com serviço ruim

Não sou crítico gastronômico, mas acho que entendo um pouco de comida. Gosto de sair para comer e posso dizer que Brasília tem ótimos restaurantes no que diz respeito à qualidade dos pratos. Porém, mais do que comida boa, gosto de bom atendimento. Pra mim, o título deste post é regra número um quando saio para comer: Não adianta prato bom com serviço ruim. E nesse quesito poucos restaurantes da cidade têm evoluído.

Hoje vivi essa (ruim) experiência. Fui almoçar com minha namorada em um restaurante bacana, lugar agradável, bonito e de bons pratos. Mas o serviço de salão... uma negação. Ao chegarmos o restaurante estava cheio e uma garçonete nos orientou a aguardar sentados. Como era a primeira vez que íamos lá, solicitamos que ela nos desse o cardápio para darmos uma olhada. Ficamos uns 10 minutos aguardando pela mesa (tempo razoável) e nada do cardápio. Até aí tudo bem. Domingão, acordamos tarde, café da manhã tardio. Ninguém estava morrendo de fome.

Fomos para a mesa e aí começou a irritação. O cardápio continuou a não chegar. Quando chegou pedimos água, que também demorou a vir e um dos copos veio sujo. A troca também foi lenta. Os garçons não ficavam por perto e chamar alguém para entender algumas coisas do cardápio também foi muito difícil.

Além do prato pedido à la carte, havia um buffet de saladas onde poderíamos nos servir à vontade. Mais problema. O buffet era improvisado e não tinha espaço para nos servirmos com um mínimo de conforto. Os talheres estavam guardados dentro de uma gaveta fechada. Quem adivinharia onde eles estavam? O sal disponível estava em um recipiente tipo aqueles de pimenta. Que você tem que rodar para cair o tempero. Mas como rodar aquilo com uma mão? Não havia espaço para apoiar o prato. Deixei pra lá e voltei para a mesa. Pedi sal ao garçom. Pedi de novo. E pedi mais uma vez, agora para um diferente. Enfim fui atendido.

Após comer a salada os pratos sujos ficaram em cima da mesa, com talheres em posição de "satisfeitos", até que os pratos novos chegaram e o garçom se deu conta de que não havia como ele colocar o novo prato em cima dos que já estavam usados. Mas é importante ressaltar que os pedidos só chegaram depois de muita espera. Quando a irritação já era grande e a vontade de comer nem era mais tanta.

Quando os pratos chegaram pudemos ver que a irritação não era só nossa. A mesa à minha esquerda revoltou-se. E com razão. Eles chegaram bem antes de nós. Fizeram os pedidos muito antes de nós e não comeram antes. Levantaram-se, indignados, e pediram a conta. Foram convencidos a ficar quando chegaram ao caixa e seus pratos estavam em direção à mesa. Comeram sem vontade. E ainda ouviram pedidos de desculpas do que entendi serem os proprietários. A mulher que me pareceu a chef e o cara que seria o gerente. Falaram da dificuldade de arrumar mão de obra qualificada, bla bla bla e no fim acho que só irritaram mais o pessoal

Na conta, mais problema. Uma das águas que pedimos não havia sido cobrada. Minha namorada queria pedir ao garçom para ele levar a conta de volta. Não deixei. Preferi ir eu mesmo ao caixa para fazer a alteração. Lá, a garçonete que havia nos atendido quando chegamos discutia em meio aos clientes com outro garçom. Algo relacionado a um pedido que um fez na mesa que o outro atendia. Pelo que entendi, tinha um prato de picanha sobrando. E a sugestão do garçom era de que a garçonete enfiasse a picanha no... bem, vocês podem imaginar onde.

E eu ali, parado em frente à mocinha do caixa. Esperando que ela tivesse a boa vontade de me cobrar por mais uma água, em vez de prestar atenção na briga e se confundir no fechamento da conta das outras mesas.

Enfim, esse foi o meu almoço de domingo. A comida estava ótima e o serviço péssimo. Sabe quando eu voltarei lá? Nunca mais.

Você voltaria?

8 comentários:

Evaldo disse...

Amigo, conheco muitas cidades no mundo. Nenhuma delas com atendimento tao ruim como Brasilia.

Elinha disse...

Jamais voltaria a um lugar como esse!
bjo.

P disse...

É uma pena que a quantidade de opções de bons cardápios não se associe a bons serviços. Ainda falta nossa querida capital melhorar muito neste quesito.

Lucas disse...

Qual foi o restaurante?

Paulo Palavra disse...

eu não cito o nome do restaurante no texto pq acho que isso é muito variável da impressão q cada um tem do lugar. tenho certeza que tinha gente lá ontem que não achou o serviço tão ruim. ou que não achou a comida tão boa. então prefiro não citar o nome. vai que você é convidado a ir lá e é bem atendido. com minhas referências vc nem iria e poderia perder um momento agradável. portanto, experiência de cada um. a minha foi essa.

Madame Mim disse...

Que saga hein?
Qdo for aí vou perguntar pra ti onde é, pra nem chegar perto.
Estava com uma idéia de texto não exatamente sobre serviços, mas dentro do assunto, obrigada pela inspiração.
bjo

Carolina Vicentin disse...

poxa... conta aí qual foi o restaurante...

Lucas disse...

Vc nos falar o restaurante é um bem que nos faz, afinal, quem quer ter a chance de ir lah?