sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Ecos de Curitiba - Parte X

O veio é mesmo um comédia. Ontem à noite, ele e o filho sairam pra jantar com o povo todo que está aqui no encontro. Eles foram para o bairro Santa Cecília (acho que é isso), que é tradicional por aqui. É um local cheio de restaurantes italianos. Sabe aquela coisa casa da Nona? Mesão pra 30 pessoas, rodízio de massas, vinho e aleto sendo servido insistentemente para umas 300 pessoas ao mesmo tempo? Então, é tipo isso. Eu não fui. Fiquei aqui por perto mesmo, comi num café e voltei pra dormir porque hoje ia acordar cedo.

Aí, estou nos preparativos finais pra me deitar e o veio chega com o filho. Até estranhei que eles tinham retornado em menos de 2h depois de terem saído. Mas ele disse que cansou e voltou de taxi. Quando entrou no quarto e me viu mexendo na mala, perguntou: "Você já vai embora amanhã?"

Disse que não. Que só iria no sábado, mas amanhã (hoje) acordaria cedo para ir a uma emissora de tv. Continuei por ali arrumando minhas coisas e ele entrou no banheiro. Ao sair, perguntou novamente: "Mas você não vai embora amanhã não, né?". Repeti a mesma resposta de antes e ele fez que entendeu.

Entrei para o banho e ao sair, adivinhem o que me perguntou o tio? "É amanhã que você vai embora, é?" Olhei para o filho dele, que já estava rindo. Repeti a resposta e o cara olhou pra mim fazendo aquele conhecido sinal com o polegar estendido em direçao a boca, sinalizando que o pai estava mamado.

Dei uma risada também e voltei ao banheiro para escovar os dentes. Quando sai, o tio estava repondo o white horse dele na garrafinha de bolso. Tava explicado. Aliás, assim que puder vou tirar outra foto da garrafa para fazer comparação. Ela já está bem mais baixa. Aguardem.

Um comentário:

Reinolds disse...

Hahaha ê paulo se eu fosse vc tomava metade dessa garrafa ai rs tenho certeza que ele nem ia perceber nada rs