segunda-feira, 21 de maio de 2007

Guarda-chuva*

Cai a chuva, bate o vento
Gotas d'água encharcam meu rosto
Um banho solitário

Procuro um abrigo inexistente
Procuro um guarda-chuva eficiente
Para me proteger de minhas próprias lágrimas
Que insistem em ferir meus olhos
Necessitados do colírio de tua presença

Um banho solitário
Tua ausência

(*Escrito em 2002)

4 comentários:

Iêda disse...

"cai a chuva e molha meu amooor. cai a chuva pra melhar o meu amoooor!"

"chuva de prata que cai sem parar, quase em mata de tanto esperar..."

"it's rain man! Aleleuia! it's rain man..."

kkkkkkkkkkk

tem muito romantismo em torno da chuva, né???

Muito bonito Pauls!
Já tem melodia?

Eliana disse...

Nada mais romântico que uma chuva mesmo... mas nesse caso, quem não tem colírio usa óculos escuro e continua andando!
That´s the way it is!

Diego disse...

Chorei!

Fransmey disse...

Lindoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo